Bateu na trave

Não foi o final que o torcedor do Molico/Nestlé esperava, mas não faltou luta por parte do time de Osasco. Diante de um José Liberatti completamente lotado, o time da central Adenízia fez um bom começo de jogo na decisão do Sul-Americano de Clubes, abrindo 1-0 sobre o Rexona/Ades. Este é um dos clássicos do Vôlei nacional e a torcida visitante marcou presença.

Mas do outro lado estava o técnico Bernardinho e algumas atletas que conquistaram o Ouro em Londres, como a líbero Fabi. O Rexona/Ades não se abalou com a derrota por 25-15 no primeiro set e já começou a reação no segundo, vencendo por 25-21.

No set seguinte, a disputa foi novamente intensa. Eram poucos erros de ambos os lados e a torcida respondia a cada lance, sem diminuir a adrenalina na decisão ou a temperatura no ginásio, esta consideravelmente alta na hora do jogo.

A vitória carioca veio no último set quando, com mais controle da partida, diferente dos anteriores, o time precisou administrar a vantagem construída para sagrar-se campeão. Placar final: 3-1

5 de março de 2015